29 de abr de 2011

APELO "Eu Sou"



Meu amigo, minha amiga,

Este é um dos mais belos apelos existentes. Costumo repassá-lo periodicamente.

Leia-o com atenção. Estas palavras estão carregadas de altíssimas vibrações e nada que seja discordante das Leis Divinas resiste se sustentar por mais tempo. Tudo é transmutado em perfeição.

Erramos e sofremos porque insistimos em usar o nosso ego limitado e mortal na condução dos nossos objetivos, quando a Energia Divina, que é todo Amor, Poder e Sabedoria, conhece o que é melhor para nós e sabe perfeitamente manifestar em nossos mundos e experiências tudo aquilo que necessitamos para viver em harmonia e caminhar na Senda da Evolução.

Perceba o que Amado Mestre nos ensina com este belíssimo e emocionante decreto.

É uma entrega total dos nossos objetivos ao Criador, feita com todo amor e confiança.

Guarde este apelo e use sempre que necessitar empreender algo ou escolher um caminho.
Mantenha em sua mente seus mais puros ideais e aspirações, mas depois saia do controle.

Permita que a Presença Divina lhe guie.

ELA lhe guiará.

Pronuncie as palavras do apelo num tom de voz firme e sereno.

Pode ser em pé ou mesmo sentado (prefiro em pé).

Sugiro colocar as mãos no centro do seu peito (a esquerda sobre a direita) ou mantenha-as na posição que desejar (juntas, com as palmas voltadas para cima ou como se sentir melhor).

Respire fundo.

Relaxe. Eleve seu pensamento ao Criador.



* * *

Grande e Magistral Presença “EU SOU”, que “EU SOU” !



Eu Te amo. Eu Te adoro! Eu Te dou de volta a Plenitude de todo Poder Criador, todo Amor, Toda Sabedoria, e através desta Força que Tu és, dou-Te pleno poder para que faças visível, em minhas mãos e uso, a realização de cada um dos meus desejos.

Nunca mais afirmarei que poder algum parte de mim, porque agora Te proclamo a Única Toda-Poderosa Presença em meu lar, minha Vida, meu mundo e minha experiência.

Reconheço Tua Supremacia Total e Teu Comando sobre todas as coisas, e ao fixar a consciência numa aspiração, Tua Invencível Presença-Inteligência assume o comando, trazendo a realização para a minha experiência com a velocidade do próprio pensamento.

Sei que governas o tempo, o lugar e o espaço. Por isso, Tu requeres unicamente o agora para trazeres à atividade visível toda a Tua Perfeição.

Conservo-me absolutamente firme na plena aceitação deste particular, já e sempre, e não permitirei a minha mente vacilar, porque, afinal, Sei que somos Um!


"EU SOU" - "EU SOU" - "EU SOU"

Copiado do site: http://www.luzdegaia.org/oracoes

22 de abr de 2011

O que é Feng Shui?



O que é Feng Shui?

Feng Shui, ou Kan Yu, é uma arte de harmonização energética chinesa que busca organizar os nossos espaços dentro de uma visão interativa. Esta arte busca integrar o ser humano à Natureza, à Terra e ao Céu. Sua prática associada ao Chi Kung e ao Tai Chi Chuan elevam a Consciência do Ser Humano trazendo mais saúde e prosperidade.
O Feng Shui surgiu na China há aproximadamente 4.000 anos e significa literalmente Vento-água. As pronúncias mais usadas são: Fong Suei, Fong Chúe e Fan Sui. Sua aplicação inicial Yin Zhai e Yang Zhai se destinou à identificação de posicionamento mais adequado aos túmulos dos imperadores. Os estudos de Feng Shui como os de Tai Chi Chuan, na China, desenvolveram-se a partir de técnicas ancestrais e foram difundidos através de tradições familiares, sendo passados também de mestre para discípulo diretamente.
O Feng Shui não se inspirou na obra de uma só pessoa, mas em uma tradição e conhecimentos acumulados durante milênios.
"A condição humana é sempre fruto e resultado do desenvolvimento de uma relação tanto com a Terra quanto com o Céu. O Homem ergueu seu olhar para o Céu e começou a perceber a relação entre os movimentos das estrelas e os fenômenos que se passavam na Terra, transformando o caos do simples "vir a ser" na visão integrada de um calendário. Foi possível extrair ordem do que aparentava desordem e essa é a função da inteligência."


Gustavo Corrêa Pinto


Escolas de Feng Shui
O Feng Shui Tradicional pode ser dividido em duas tradições:
- Tradição San-Yuan (3 Ciclos): é considerada a mais antiga
- Dinastia Tang (618-906 d.C.). A Escola da Forma é a sua referência. Usava-se uma bússola magnética.
- Tradição San-He: Criada há aproximadamente mil anos se desenvolveu também a partir da observação da forma das paisagens voltadas para o Norte da China. A Luo Pan (bússola chinesa) é utilizada.


As Escolas relacionadas a San-Yuan

Xuan (Vazio) está relacionado com a evolução contínua e infinita da energia, e Kong (Misterioso). A compreensão dessas referências é importante para o estudo da Escola originada na Tradição dos Três Ciclos.
- Xuan-Kong Zi Bai (Púrpura-Branca): Considerada como uma das primeiras originárias dos Três Ciclos, baseia-se nos estudos do Quadrado Mágico.
- Xuan-Kong Fei Xing (Estrelas Voadoras): Baseia-se também no Quadrado Mágico estudando o Tempo e o Espaço. Esta escola estuda o movimento do "Chi" ou "Qi" - energia vital ou polarizada dentro e fora das construções, sua evolução e transformação no tempo.
- Xuan-Kong Da Gua (64 Hexagramas do Yi Jing): Mais utilizada para identificar a localização de uma construção no terreno. Considera interpretações matemáticas dos Hexagramas.
- Xuan Kong Long Men Ba Da Ju (Portão dos Dragões): Estuda as influências energéticas do fluxo do "Chi" nos rios, nas de ruas, vias e avenidas. Sua referência está nas relações entre o Xian Tian Ba Gua/ Sequência do Céu Anterior e Hou Tian Ba Gua/ Sequência do Céu Posterior.
Interpretações atuais das Escolas de
Feng Shui

Do conhecimento original chinês partiram duas escolas tradicionais e outras surgiram no ocidente.
- Luan Tou (Estudo de Forma): Como as Formas externas influenciam as construções.
- Li Chi ou Qi (Práticas com o uso da Bússola): As Luo Pans mais atuais que reúnem duas ou mais técnicas de escolas diferentes (como a San-Yuan, a San-He).


- Escola Californiana, ou do Budismo Tântrico Tibetano do Chapéu Negro: Essa escola é a mais difundida no Ocidente. Utiliza rituais e práticas de consagração nos imóveis, tornando-se uma técnica extremamente intuitiva e voltada para o cultivo de energias dos "cantos" internos dos espaços. Não usa a bússola e aplica as referências do trigrama Kan da direção Norte, usando sempre como referência a porta de entrada de cada ambiente.
Algumas teorias surgiram a partir do Chapéu Negro:
- Oito Aspirações: Utiliza os pontos cardeais para direcionar as "qualidades do Ba Gua".
- Space Clearing (Limpeza Energética de Espaços): Utiliza rituais e práticas de consagração para fazer limpeza energética tendo o Ba Gua como referência.
- Pirâmide: Adiciona a idéia junguiana de arquétipos na "cura" dos cantos tendo a neurolinguística atual como referência.


- Vastu Shastra: Técnica que tem sido comparada com o Feng Shui chinês e considerada por muitos como o "Feng Shui indiano", embora nâo tenha nenhuma referência com as tradições chinesas.


Os chineses, assim como os egípcios, os celtas, os aborígenes da Austrália, os tibetanos, os indianos, entre outros, desenvolveram muitos estudos para compreender as relações entre o céu e a terra e, puderam identificar o local ideal e a época mais adequada para desenvolver projetos de agricultura e de arquitetura, inicialmente limitados a cemitérios, palácios e templos.


Nessas fases da história da humanidade, a arquitetura era considerada uma das mais elevadas formas de arte, não sendo estudada de modo isolado e sim, associada às ciências.


http://www.fengshuibrasil.com.br/html/fengshui.htm

21 de abr de 2011


O casamento na visão espírita  


Para os Espíritas, não é novidade ser a reencarnação um dos princípios básicos e mais importantes da sua Doutrina; que a sua finalidade é a de proporcionar aos Espíritos perfeição, progredindo sempre, para aproximar-se de Deus, conforme aprendemos em O Livro dos Espíritos, na questão 132.



Nas questões 231 e 258, aprendemos também que, quando desencarnados e ainda vinculados à Terra, são eles chamados de errantes e que, nesse estado, entreveem o que lhes falta para serem felizes. É por isso que buscam os meios de atingirem o objetivo almejado, escolhendo, eles mesmos, o gênero de provas que desejam sofrer. Nisso consistem os seus livres-arbítrios. Quando lhes falta experiência para escolher, Deus supre as suas inexperiências, por intermédio da colaboração dos bons Espíritos, Seus mensageiros.

São, em tese, esses os ensinamentos dos Espíritos superiores sobre a importância da volta do Espírito à Terra, através das reencarnações sucessivas. São ensinamentos que nenhum Espírita pode ignorar e deve entendê-los, nos seus meandros, para que possa assumir sua parte de responsabilidade nos atos praticados, em sua vida terrena, na busca de sua transformação interior, para melhorar sempre.

Sendo o casamento uma das provas mais importantes na vida de todos e, perante os conhecimentos trazidos pela doutrina Espírita, somos levados a uma cogitação séria sobre o casamento na ótica espírita. O objetivo é posicionar os interessados sobre a responsabilidade de cada um, considerando a liberdade da mulher; a quase liberação do sexo; o uso do anticoncepcional tornou-se prática fácil e moderna e a dissolução do casamento, muitas vezes, é causada pelo simples desejo de inovação.

Martins Peralva, de saudosa memória, estudioso do Espiritismo e bom entendedor dos ensinamentos constantes da obra de Kardec, em feliz abordagem sobre o tema Espiritismo no Lar, constante do livro de sua autoria, Estudando a Mediunidade, sugere a seguinte classificação dos casamentos:

“Acidentais: Encontro de almas inferiorizadas, por efeito de atração momentânea, sem qualquer ascendente espiritual.

“Provacionais: Reencontro de almas, para reajustes necessários para a evolução de ambos.

“Sacrificiais: Reencontro de alma iluminada com alma inferiorizada, com objetivo de redimi-la;

“Afins: Reencontro de corações amigos, para consolidação de afetos.

“Transcendentes: Almas engrandecidas no Bem e que se buscam para realizações imortais.”

Tomando-se por base essa classificação, podemos deduzir que os acidentais, quando duas pessoas se unem, sem qualquer ascendente espiritual, onde funcionou apenas o livre-arbítrio, na busca do sexo oposto, apenas para satisfação instintiva, tem início ali um vínculo de comprometimento para o futuro, em próximas existências, uma vez que ninguém tem o direito de lesar sentimentos alheios, sem que lhe seja imputada a devida culpa.

Nos casamentos Provacionais, em que duas almas se encontram em processo de reajustamento, necessário ao crescimento espiritual, esses que são a grande maioria na Terra, o ensinamento trazido pelo Espiritismo faz luz para nos alertar sobre a sua finalidade.

Essas uniões demonstram, de forma palpável, que não existem encontros afetivos, sem raízes profundas nos princípios cármicos, onde as nossas responsabilidades são esposadas em comum. Quando, ainda no mundo espiritual, programou-se, por moto-próprio, o remédio, embora amargo, que precisa ser ingerido para o restabelecimento da saúde espiritual, isto é, o acerto de contas reclamado por ambas as partes.

No livro de sua autoria, Fé, Paz e Amor, página 92, Emmanuel, o sábio amigo do médium Chico Xavier, ensina: “Se encontrastes em casa, o campo de batalha, em que sentes compelido a graves indenizações do pretérito, não te detenhas na dúvida! Suporta os conflitos à própria redenção, com valor moral do soldado que carrega o fardo da própria responsabilidade, enquanto se desenvolver a guerra a que foi trazido. Não te esqueças de que o lar é o espelho, onde o mundo contempla o teu perfil e, por isso mesmo, intrépidas e tranquilas nos compromissos esposados, saibamos enobrecê-los e santificá-los.”

Pensemos nisto: se contraímos dívida nos estabelecimentos bancários ou comerciais e, se não pagarmos no vencimento, o nosso nome será encaminhado ao Serasa ou SPC e ficamos com o nome “sujo”, sem direito a novos créditos. Para reaver o crédito e limpar o nome, é necessário pagar a dívida.

O mesmo acontece com o Espírito encarnado, na vigência do casamento. Praticando erros em prejuízo do outro cônjuge, fica sem crédito espiritual e só o reaverá, quando conseguir resgatá-lo, atendendo Jesus, quando afirmou: “reconcilia-te com o adversário enquanto em caminho com ele”.

Fica claro que os Espíritas, que conhecem tudo isso, no seu interesse próprio, devem ver, no casamento provacional, a oportunidade bendita que nos é dada por Deus para o nosso entendimento pacífico com os nossos supostos adversários, por nós mesmos lesados, em outros tempos, e, agora, podermos nos entender, retirando da consciência o peso difícil de ser carregado.

A separação consiste no não cumprimento da programação anterior que se adia para outra encarnação. Pode ser comparada com a Nota Promissória que, vencida, poderá ser prorrogada, mas, com o ônus do acréscimo dos juros, multas e correções.

Sendo assim, verificamos que não é compensadora a separação, uma vez que demonstra falta de inteligência e de bom senso.

Para tanto, torna-se necessário que cada um dos cônjuges compreenda a importância de sua participação empenhada no êxito resolutivo nas divergências. Assumindo, com boa vontade e compreensão, a parte que lhes compete, receberão, necessariamente, uma solução positiva. Isso é de Lei.

É importante olhar para dentro de si, com valor e humildade, admitindo a necessidade de modificar alguma coisa, talvez, o comportamento com o outro cônjuge, perdoando-o, tratando-o com afetividade, com indulgência, usando da caridade que enaltece e ensina a amar.

Se não fizer mudanças necessárias e continuar com o mesmo procedimento anterior, permanecerá sofrendo aquilo que já sofria, isto é, as dificuldades de relacionamento familiar, em prejuízo dos próprios filhos. Não agindo assim, estará, sem dúvida, transferindo para encarnação futura a solução daquilo que pode resolver desde já.

A separação, portanto, torna-se necessária em casos extremos, quando a irracionalidade de um ou de ambos os cônjuges não propiciar ambiente para entendimentos; quando a convivência, ao invés de pacificar, cria maiores divergências, complicando, ainda mais, as dificuldades para o bom relacionamento; quando as agressões podem causar prática de crimes ou por adultério. Todavia, mais cedo ou mais tarde, as partes se encontrarão para os devidos reparos, pois, nas Leis de Deus, só a prática do AMOR nos fará felizes.

A visão espírita sobre o casamento, cogitada, estudada e divulgada tem o objetivo de ser útil, especialmente a quem tem conhecimento dos ensinamentos do Espiritismo e da finalidade da encarnação na Terra.

Trata-se de estudo sério, com a finalidade de colaborar, sem puritanismo. Ninguém de nós está imune de provas e expiações. Todos somos portadores de muitos problemas que se relacionam, muitos deles, com o tema deste estudo, sem nenhuma pretensão de fazer doutrinação, pois o dever de fraternidade determina que sejamos amigos solidários, nas alegrias e nas tristezas.

Édo Mariani

(copiado do site:


http://marcoaureliorocha5.blogspot.com/2011/04/o-casamento-na-visao-espirita.html)


19 de abr de 2011

A GRANDE INVOCAÇÃO



A GRANDE INVOCAÇÃO

Do Ponto de Luz na mente de Deus,
Que flua Luz à mente dos homens, e que a Luz desça à Terra.
Do ponto de Amor no coração de Deus, Que flua Amor aos corações dos homens e Cristo retorne à Terra.
Do centro onde a vontade de Deus é conhecida, Que o propósito guie as pequenas vontades dos homens,
O Propósito que os Mestres conhecem e servem.
Do centro a que chamamos a raça dos homens, Que se realize o plano de Amor e de Luz e feche a porta onde se encontra o mal.


Que a Luz, o Amor e o Poder, Restabeleçam o Plano Divino sobre a Terra,

Hoje e por toda a Eternidade. Que assim seja
 

NAMASTÊ


                        
                                

NAMASTÊ


A palavra NAMASTÊ é o cumprimento em sânscrito que literalmente significa "Curvo-me perante a ti".

NAMAS (reverenciar, saudar, curvar-se) TE (ti)

NAMASTÊ é a forma mais digna de cumprimento de um ser humano para outro.Expressa um grande sentimento de respeito.Invoca a percepção de que todos nós compartilhamos da mesma essência, da mesma energia, do mesmo universo.

NAMASTÊ possui uma força pacificadora muito intensa. Em síntese é "Saúdo a você, de coração" e deve ser retribuído com o mesmo cumprimento.

"O Deus que habita em mim saúda o Deus que habita em você".
"O Deus que há em mim saúda o Deus que há em ti".
"O Espírito em mim reconhece o mesmo Espírito em você".
"A minha essência saúda a sua essência".

As pessoas que trocam indiferença, desconfiança ou ódio, são pessoas que esqueceram que Deus habita cada ser. Conhecido pelos budistas como Anjali Mudra, consiste no simples ato de pressionar as palmas das mãos ante o coração e os dedos apontando para cima, no centro do peito. Inclina-se levemente a cabeça sem ser acompanhado de palavras. Freqüentemente fecha-se os olhos, para então curvar-se a coluna, em sinal de respeito à divindade que preenche todos os espaços do universo. A coluna retorna à posição ereta mais lentamente do que quando abaixou, também simbolizando respeito à outra pessoa.

Os cinco dedos da mão esquerda representam os cinco sentidos do coração, enquanto os dedos da mão direita representam os cinco órgãos da razão. Significa então que mente e coração deve estar em harmonia, para que nosso pensar e agir estejam de acordo com a Verdade. Também é um reconhecimento da dualidade que existe no mundo, simbolizando a união das polaridades, esquerda e direita, bem e mal e sugere um esforço de nossa parte para manter essas duas forças unidas em equilíbrio.

DEZ DEDOS UNIDOS NO NAMASTÊ

O número dez é símbolo da perfeição, da unidade, do equilíbrio perfeito.
Os dez Mandamentos, as dez emanações da Árvore da Vida, os dez vértices da estrela de Pitágoras, a Parábola dos Dez Talentos (Mt,25).
Toda a criatura é um reflexo dos Dez Atributos Divinos: Apego, Bondade, Conhecimento, Entendimento, Esplendor, Harmonia, Perseverança, Realeza, Sabedoria, Severidade.

NAMASTÊ traz o Sagrado para dentro de cada ser humano, afirmando que Deus não está no céu, num templo ou mesmo na natureza.Deus está em tudo, em cada um de nós e qualquer dissociação da imagem do divino da nossa é inútil.Ao fazer o Namastê, afirmamos que todos somos filhos e partes do Sagrado, indissociáveis e iguais.



“Sê humilde! Reverencia a natureza e tudo ao seu redor. Pois tudo o que te cerca é a expressão de DEUS!”

16 de abr de 2011

C H A K R A S





A palavra chakra vem do sânscrito e significa roda, círculo ou movimento, e é essa a definição básica de um chakra, tem aparência de uma roda sempre circulando, sempre em movimento.


Chakras são centros energéticos do nosso corpo que funcionam como portais de energia fazendo a captação, contenção e distribuição desta energia para todos os corpos que possuímos. Os chakras estão localizados num destes corpos, o duplo etérico e fisicamente podemos localizá-los tendo como base a espinha dorsal e a cabeça.São sete os principais chakras, cada qual correspondendo a um dos sete corpos, porém existem milhares destes centros de energia espalhados pelo corpo. Os principais chakras estão diretamente ligados ao sistema nervoso e as glândulas endócrinas e possuem funções e características específicas. Seu funcionamento varia de acordo com as energias captadas interna e externamente, e sua rotatividade pode ser tanto no sentido horário quanto anti-horário, variando de acordo com a energia do indivíduo.


São divididos em três grupos: inferior (1º, 2º e 3º), médio (4º) e superior (5º, 6º e 7º) e existem três nós (1º, 4º e 6º) a serem quebrados por onde é liberado o fluxo de subida da energia Kundalini.


Como Equilibrar e Energizar os Chakras
Existem diversas formas e práticas que equilibram e ativam o funcionamento destes chakras. São elas o Yoga, Acupuntura, Massagem Tântrica, Mantra, Mentalização, Meditação, Cromoterapia, Aromaterapia, Radiestesia, Cristaloterapia, etc.

...

Uma Breve Descrição dos Chakras


Muladhara Chakra

Swadhisthana Chakra

Manipura Chakra

Anahata Chakra

Vishuddha Chakra

Ajña Chakra

Sahashara Chakra

Chakra de mil pétalas.
Localização: Topo da cabeça.
Forma geométrica: Círculo, 1000 pétalas.
Elemento: Presença de todos os 5 elementos.
Cor: Magenta, Arco íris ou branco.
Mantra: Shan.
Órgãos: Cérebro.
Corpo: Espiritual ou búdico ou Buddhi Maya Kosha.
Glândulas: Pineal.
Idade: 42 a 49 anos.
Planeta: Ketu.
Características: Reúne característica e energias dos outros chakras. Portal de entrada da espiritualidade, iluminação, evolução, silêncio, meditação, memória, contato com o divino, auto realização, sabedoria, coroação, perfeição, liberdade.
Funções: Organiza todos os aspectos da mente, ou seja, não-mente, intelecto, mente identificada. Produz Samádhi (iluminação).


Autoria: Raquel Frota


(http://viveralternativo.com.br/esoterismo/artigo/chakras/)











Limpando os Chakras

Existe uma prática de limpeza dos Chakras que podemos fazer durante o nosso banho matinal.

A técnica é bem simples:

a) durante o banho colocamos nossa mão esquerda na base da nossa coluna e a direita a 10 centímetros do 1º Chakra;
b) imagine que uma espiral passa por um túnel de uma mão para outra no sentido horário;
c) depois de 1 minuto, enxaque suas mãos eliminando toda energia pesada que estava no seu Chakra;
d) repita em cada um dos outros Chakras, lembrando que a mão esquerda deve permanecer sempre na base da coluna e não esquecendo de enxaguar as mãos após a limpeza de cada um dos Chakras;
e) depois retorne ao 1º Chakra e sinta uma energia fluindo, e vá subindo por cada um deles, caso sinta um entupido, lave-o novamente.


http://www.anjodeluz.com.br/os_chakras.htm






Teste Chakra